Hambúrguer feito em casa

Quem me conhece sabe que eu adoro hambúrguer! Não resisto a um fast food! Mas, em ano de casório, temos que mudar uns hábitos pra ficar bem linda no vestido né! Por isso, quando vi essa receita no blog Na minha panela, não resisti e fui logo pra cozinha! Fiz algumas modificações, conforme o meu gosto, e ficou muito gostoso e muito mais saudável que aqueles hambúrgueres engordurados que compramos por aí!

Ingredientes:

  • 500g de carne moída magra
  • 50g de queijo parmesão ralado (não é aquele de saquinho não hein!)
  • 1/2 colher (chá) de pimenta calabresa
  • 1 cebola pequena ralada
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 1 colher (chá) de azeite
  • 1 dente de alho pequeno amassado

Modo de fazer:

  • Misture tudo e deixe pegando o gosto por uns 15 minutos.
  • Molde os hambúrgueres e disponha-os numa assadeira. Não precisa untar.
  • Deixe assar por uns 15 minutos, vire, e deixe mais 15 minutos.

Fácil né! E fica uma delícia!

Bolo cremoso de maçã

Tenho que admitir que o bolo ficou feio, a foto ficou horrorosa, mas o gosto é muito bom! Antes de colocar uma receita aqui eu sempre penso: eu faria essa receita de novo? E essa eu faria. Por 4 motivos: é muito fácil, é barato, é gostoso e é saudável. Descobri hoje que a maçã é rica em pectina, uma fibra solúvel em água que auxilia no controle dos níveis de colesterol no sangue.

Então, vamos a receita!

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
  • 3 maçãs com casca picadas (usei maçã fuji, mas como estava muito pequena usei 4)
  • 1/2 xícara (chá) de óleo
  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 3 ovos
  • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
  • 1/2 colher (sopa) de canela em pó

Modo de fazer:

  • Bata todos os ingredientes no liquidificador, colocando primeiro os ingredientes líquidos, depois as maçãs picadas e então os secos.
  • Despeje em uma assadeira untada e enfarinhada e leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 40 minutos.
  • Depois de pronto, deixe esfriar um pouco, desenforme e polvilhe açúcar e canela sobre o bolo.

O bolo fica bem cremoso, com uma textura parecida com um pudim, mas com uma casquinha mais durinha. Muito bom!

Chocolate… Hummm!

Passeando pela internet a procura de matérias suficientemente interessantes para o blog, encontrei no site da Folha de S. Paulo uma reportagem superinteressante sobre essa delícia que consegue tentar crianças, homens e principalmente nós, mulheres.

A seguir, alguns trechos da reportagem, que se encontra  na íntegra na página: Conheça os benefícios e malefícios do chocolate.

“Altamente calórico, o chocolate é o vilão das dietas, mas pode ser consumido com moderação por pessoas saudáveis. Nutritivo, contém vitaminas e sais minerais, além de alto teor de flavonóides – antioxidantes que podem ajudar a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares – e de substâncias precursoras da serotonina – responsável pela sensação de prazer e bem-estar.

Para esclarecer as principais dúvidas e curiosidades a respeito dessa iguaria, a Folha ouviu 17 profissionais da indústria de chocolate e das áreas de dermatologia, endocrinologia, nutrição, otorrinolaringologia, pediatria e psiquiatria.

Chocolate faz bem para a saúde?
Alguns estudos, não conclusivos, dizem que os antioxidantes presentes no chocolate amargo combatem os radicais livres, retardando, assim, o envelhecimento, e ajudam a diminuir os níveis de LDL (o mau colesterol) no sangue. Ele contém vitaminas A, B, C, D e E e sais minerais, como o ferro e o fósforo. De qualquer modo, por ser altamente calórico, deve ser consumido com moderação inclusive por pessoas saudáveis. O chocolate ao leite e o branco são os menos recomendados, devido às gorduras saturadas presentes no leite.

Qual é a quantidade recomendada por dia?
A Organização Mundial de Saúde não recomenda o consumo de nenhum tipo de doce. Para quem não resiste, o importante é não ultrapassar o limite diário de até 50 gramas, em função dos altos teores de açúcar e gordura.
Qual é o mais e o menos calórico?
O chocolate amargo e o ao leite têm praticamente as mesmas calorias.

O “diet” engorda? E o “light”?
Como não tem açúcar na composição, o teor de gordura do “diet” precisa ser maior, para garantir a mesma consistência. Em alguns casos, ele chega a ser mais calórico que o chocolate comum, por isso é indicado apenas para diabéticos, não para pessoas com restrição calórica. Já os “light” têm menos gordura e, por isso, menos calorias.
Quem não deve comer chocolate de jeito nenhum?
Pessoas sensíveis podem ter enxaqueca provocada por alergias ou devido à ação de substâncias vasodilatadoras presentes no chocolate, além de irritações na pele, no estômago e na mucosa intestinal. A tosse pode ocorrer como manifestação alérgica, embora não seja comum. A diarréia pode ser causada pelo consumo excessivo, devido ao alto teor de gordura, razão pela qual pessoas com problemas no fígado devem evitá-lo. Estima-se também que de 10% a 15% das pessoas com doenças labirínticas tenham problemas com o metabolismo de açúcar.
E as crianças? A partir de que idade o consumo de chocolate é liberado?
Ele deve ser desestimulado em qualquer idade, devido ao alto teor de açúcar e gordura. Quanto mais cedo a criança começar a comer chocolate, pior. No primeiro ano de vida, as chances de intolerância à lactose (açúcar encontrado no leite animal) são maiores.

Qual o é o efeito dele na pele? Dá espinha? E dos cosméticos à base de chocolate?
Nenhum estudo científico comprova a relação entre o consumo de chocolate e o surgimento de espinhas. Alguns dermatologistas, no entanto, afirmam que pacientes com propensão à acne relatam piora após a ingestão exagerada de chocolate. Já os efeitos de cosméticos e tratamentos para a pele à base de chocolate, disponíveis desde a Antigüidade, são duvidosos. O óleo do cacau hidrata a pele apenas superficialmente, podendo ser usado em peles ressecadas ou envelhecidas, embora existam produtos mais eficazes.

Chocolate pode causar dependência?

Sim. Ele contém três substâncias que podem provocá-la: a teobromina, a cafeína e a feniletiamina. Para ser caracterizada como dependente, a pessoa precisa consumir chocolate para se sentir bem ou ter sintomas depressivos quando fica muito tempo sem comê-lo. Geralmente, o problema afeta os indivíduos angustiados e os ansiosos.

Por que, ao comê-lo, sentimos melhora de humor e alívio no estresse?
Porque ele contém substâncias que estimulam a produção de serotonina, um neurotransmissor que ajuda a combater a depressão e a ansiedade, além de estimular os centros de prazer e de bem-estar.

Chocolate é afrodisíaco?
Dessa crença popular, difundida há séculos, o que se sabe é que ele estabiliza neurotransmissores relacionados a sensações prazerosas, como a dopamina e a serotonina, e favorece a liberação de endorfinas e encefalinas que produzem o prazer.

Qual é o prazo de validade de um chocolate? Ele dá algum sinal de que está impróprio para o consumo?
Em seis meses, ele começa a perder o sabor e o aroma, mas pode durar até um ano. Quando é submetido ao calor excessivo, a sua gordura sobe à superfície: o chocolate fica manchado, mas não significa que está estragado.

Por que se diz que os chocolates belgas, franceses, suíços e venezuelanos são tão superiores aos brasileiros?
Países europeus, como Bélgica e Suíça, não plantam o cacau que utilizam. Sua fama de fazer bons chocolates decorre dos grãos utilizados, da tecnologia empregada e da tradição – os suíços foram os primeiros a fabricar chocolates ao leite, e os belgas lideram o mercado de produtos voltados a profissionais. Na Venezuela, o grão de cacau é superior ao brasileiro, considerado ácido por alguns.

Os chocolates com mais cacau são os melhores?
O conceito é relativo, já que depende do gosto pessoal. Mas, quanto maior a quantidade de cacau, menor a de outros ingredientes que mascaram o seu sabor. Para um chocolate derreter facilmente na boca, a quantidade de manteiga de cacau é determinante, porque seu ponto de fusão é a temperatura do corpo humano: quando entra em contato com o calor da boca, o chocolate derrete.

DE QUE É FEITO O CHOCOLATE

Amargo: massa de cacau (resultado da trituração das favas), manteiga de cacau, açúcar e lecitina de soja (estabilizante usado para tornar a mistura homogênea)
Ao leite: adiciona-se leite em pó à massa de cacau, à manteiga de cacau, ao açúcar e à lecitina de soja
Branco: manteiga de cacau, açúcar, lecitina de soja e leite em pó”